E então entrou no banho, com a água bem fria, esperando que seus sentimentos e suas mágoas escorressem por água a baixo.Os últimos dias não foram lá muito bons, aliás, foram péssimos. Brigava com todo mundo mundo só por que uma ou duas pessoas te magoaram. Mas isso sempre foi sua cara não é? Tratar errado as pessoas certas, nunca soube se controlar. Pegou a lâmina que guardava no canto da gaveta do banheiro, sentou-se no chão frio do box e então começou. Pressionou o objeto cortante sobre seu pulso, pensou duas vezes, mas agora não tinha mais volta. Ainda conseguia ver o "stay strong" escrito em seu pulso. “Mantenha-se forte” que irônico não é? A menina que para todos era tão forte, estava ali se cortando, de novo. Havia prometido para si mesma que não faria aquilo novamente, mas ali estava ela, quebrando sua promessa assim como quebraram seu coração.Mas quem se importava? Quem estava ali do seu lado pra dizer “não, isso não é certo”, ou algo parecido? Não tinha ninguém. Ninguém capaz de ajudá-la, ninguém capaz de amá-la ou só ser uma amiga verdadeira. O sangue escorria assim como suas lágrimas. A grande dose de remédio da noite anterior não tinha funcionado, que pena. Ninguém sabia o quanto doía, ninguém sabia oque se passava naquele coração, naquela mente. Meio estranha ela né? Tão sozinha, tão carente, tão problemática. Agora ela apelou para as pernas, ou braços já estavam lotados de cortes. Sabia que se arrependeria de tudo depois, novamente.Ela não queria se matar, não mais. Ela só queria diminuir um pouco sua dor. Afinal, oque é um braço cortado em comparação a um coração quebrado? Mas se ela estaria ou não ali na manhã seguinte, ninguém se importaria… (dudaprung)

E então entrou no banho, com a água bem fria, esperando que seus sentimentos e suas mágoas escorressem por água a baixo.Os últimos dias não foram lá muito bons, aliás, foram péssimos. Brigava com todo mundo mundo só por que uma ou duas pessoas te magoaram. Mas isso sempre foi sua cara não é? Tratar errado as pessoas certas, nunca soube se controlar. Pegou a lâmina que guardava no canto da gaveta do banheiro, sentou-se no chão frio do box e então começou. Pressionou o objeto cortante sobre seu pulso, pensou duas vezes, mas agora não tinha mais volta. Ainda conseguia ver o "stay strong" escrito em seu pulso. “Mantenha-se forte” que irônico não é? A menina que para todos era tão forte, estava ali se cortando, de novo. Havia prometido para si mesma que não faria aquilo novamente, mas ali estava ela, quebrando sua promessa assim como quebraram seu coração.Mas quem se importava? Quem estava ali do seu lado pra dizer “não, isso não é certo”, ou algo parecido? Não tinha ninguém. Ninguém capaz de ajudá-la, ninguém capaz de amá-la ou só ser uma amiga verdadeira. O sangue escorria assim como suas lágrimas. A grande dose de remédio da noite anterior não tinha funcionado, que pena. Ninguém sabia o quanto doía, ninguém sabia oque se passava naquele coração, naquela mente. Meio estranha ela né? Tão sozinha, tão carente, tão problemática. Agora ela apelou para as pernas, ou braços já estavam lotados de cortes. Sabia que se arrependeria de tudo depois, novamente.Ela não queria se matar, não mais. Ela só queria diminuir um pouco sua dor. Afinal, oque é um braço cortado em comparação a um coração quebrado? Mas se ela estaria ou não ali na manhã seguinte, ninguém se importaria… (dudaprung)

Wednesday, 7 de March de 2012 às (14:46), com 25

# meustextos # eu chorei desde a primeira letra até a ultima # iha # mas adivinha # ela sou eu # mas emfim # niguém vai ler esse textos # então...

— Postado 2 years ago, com 25 notas.



Source: dudaprung

theme